atendimento 249 736 215

Gripe das aves - Foco em Santa Margarida da Coutada

Comunicado | 17 jan 2022

Gripe Aviária

A Gripe Aviária é uma doença vírica extremamente contagiosa podendo causar elevada mortalidade nas aves afetadas.

As infeções pelos vírus da gripe aviária dividem-se em dois grupos com base na sua patogenicidade: gripe aviária de alta patogenicidade (GAAP), que se dissemina rapidamente, causando doença grave com mortalidade elevada (até 100% no prazo de 48 horas) e gripe aviária de baixa patogenicidade (GABP) que geralmente causa doença ligeira, podendo facilmente passar despercebida.

Ocasionalmente, algumas estirpes de vírus da gripe aviária podem infetar outros animais, nomeadamente mamíferos, e também o ser humano. No entanto, para que tal aconteça é necessário que haja um contacto muito estreito entre as aves infetadas e as pessoas ou entre aves e outros animais. Para mais detalhes acerca da doença, ver.

Não há nenhuma evidência epidemiológica de que a gripe aviária possa ser transmitida aos seres humanos através do consumo de alimentos, nomeadamente de carne de aves de capoeira e ovos.


Deteção de focos de infeção por vírus da GAAP em Santa Margarida da Coutada

No passado dia 14 de janeiro foi confirmado um foco de gripe aviária do subtipo H5N1 numa instalação que detém aves de coleção, com cerca de 100 aves, galinhas, patos, perus, faisões e outros, situada na freguesia de Santa Maria da Coutada, Constância.

Na sequência deste evento, o plano de contingência para a gripe aviária foi ativado de imediato e as medidas de controlo previstas na legislação em vigor foram executadas no terreno pela DGAV. Estas medidas, que incluem a inspeção aos locais onde foi detetada a doença e o estabelecimento de zonas de restrição sanitária no raio de 3 km (zona de proteção) e 10 km (zona de vigilância) em redor de cada foco. Foi igualmente intensificada a vigilância da doença nestas zonas de proteção e vigilância.

Reiteramos que neste momento as medidas fundamentais a aplicar pelos criadores de aves são o confinamento das aves e o reforço da biossegurança e das boas práticas de produção avícola destinadas a evitar contactos diretos ou indiretos entre as aves domésticas e as aves selvagens, assim como os procedimentos de higiene de instalações, equipamentos e materiais, e o controlo dos acessos aos estabelecimentos onde são mantidas as aves. Acresce a vigilância e notificação de suspeitas para permitir uma rápida e eficaz implementação das medidas de controlo que minimizem a disseminação da doença.

Para mais informações poderá consultar os seguintes documentos:

 

Brasão
TL +351 249 736 215 TM +351 969 254 506 jfstamargarida@mail.telepac.PT
Rua dos Combatentes, 10
Aldeia de Santa Margarida da Coutada
2250-366 Santa Margarida da Coutada
PDR
DESIGNAÇÃO DO PROJECTO:
MEMÓRIA E EDIFICAÇÕES - 3ª FASE
REQUALIFICAÇÃO DAS FONTES E CRIAÇÃO DA ROTA DAS FONTES DE SANTA MARGARIDA DA COUTADA (PR)
OBJECTIVO PRINCIPAL:
10.2.1.6 – RENOVAÇÃO DE ALDEIAS - APOIO À PRESERVAÇÃO, CONSERVAÇÃO E VALOZIZAÇÃO DOS ELEMENTOS PATRIMONIAIS LOCAIS, PAISAGÍSTICOS E AMBIENTAIS APOIO À PRESERVAÇÃO, CONSERVAÇÃO E VALOZIZAÇÃO DOS ELEMENTOS PATRIMONIAIS LOCAIS, PAISAGÍSTICOS E AMBIENTAIS.
MONTANTE DO INVESTIMENTO: 16 430,48 €
MONTANTE DA DESPESA PÚBLICA: 8 215,24 €
MONTANTE CO-FINANCIADO PELO FEADER:
2020 eu
O site JF Santa Margarida da Coutada utiliza cookies. Ao navegar está a concordar com a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies. Aceito